O PREAMAR é um programa no qual egressos dos percursos de iniciação se engajam em projetos de criação, sob a tutoria de profissionais de carreira consolidada. Como o nome do programa sugere, a ideia é elevar ao nível máximo as possibilidades de formação, criando uma turbulência potente e criativa, assim como as marés cheias do mar aberto, a PREAMAR referida no nome do programa.

A definição do programa já indica que esse processo, na verdade, inicia antes com a primeira oferta de percursos de formação que acontece no início do ano. Outro ponto a destacar é a escolha anual de temáticas que guiam e norteiam os processos formativos e criativos da escola:

A escolha do tema para nortear as formações e os eventos da Escola este ano seguiu o mesmo processo dos anos anteriores, em que a área pedagógica do Porto Iracema debate sobre as questões que emergiram nas experiências formativas do ano letivo passado. São questões que surgiram e não ganharam o espaço necessário para sua plena reflexão. Em 2019, o Porto Iracema quer provocar o debate sobre as formas como os artistas, em diálogo com as diversas pautas presentes na experiência social, especialmente na realidade brasileira recente, afirmam diferentes modos de existir na construção de suas poéticas, seus atos criativos. Nesta perspectiva, a Escola propõe o tema Poéticas da Existência. (http://www.portoiracemadasartes.org.br/porto-iracema-das-artes-lanca-tema-poeticas-das-existencias-para-ano-letivo-2019-e-abre-primeira-oferta-de-cursos-com-170-vagas/)

[…]

“As narrativas das existências contemporâneas são múltiplas e envolvem questões relacionadas à desigualdade social, ao extermínio das juventudes periféricas, ao racismo, ao feminicídio, à sexualidade, aos gêneros, à homofobia, entre outras. O campo das artes é esse lugar precioso da experiência social, que favorece o pensamento crítico e a construção coletiva de narrativas de existência. Na verdade, narrativas de sobrevivência, no caso específico do Brasil contemporâneo”, destaca a diretora da Escola, Bete Jaguaribe. (http://www.portoiracemadasartes.org.br/porto-iracema-das-artes-lanca-tema-poeticas-das-existencias-para-ano-letivo-2019-e-abre-primeira-oferta-de-cursos-com-170-vagas/)

Baseados nessa temática pensamos a oferta e os professores dos módulos do Percurso Práticas do Ator de 2019. O percurso propõe uma iniciação ao fazer teatral tendo como foco a preparação do ator para a cena. Dividido em três módulos concomitantes, busca conscientizar o ator/performer no uso de seu corpo como dispositivo de trabalho a partir do estudo e exploração de uma voz e corpo cênicos assim como do estímulo à criatividade própria para construção de personas ou personagens. Entender que seu corpo próprio é instrumento para e fonte criativa de trabalhos cênicos, focando na autonomia criativa, é um ponto central do percurso, assim como a convivência e partilha em coletivo é outro ponto fundamental. Nesse sentido, a escola compreende formar não apenas atores e atrizes, mas também e, principalmente, cidadãos conscientes de si e de seu contexto.

Alinhando essa orientação geral do percurso formativo à temática anual, os professores foram escolhidos por suas trajetórias e pesquisas de trabalho que partem de e seguem por caminhos diversos, apresentando-os assim como possibilidades aos alunos, dentre muitas outras, para existir e criar artisticamente. Isso se pode constatar nas propostas pedagógicas dos professores:

Fotos Alan Sousa

Fotos Alan Sousa

Fotos Edivaldo Batista e turma de alunos.

Fotos Alan Sousa

Ao final do Percurso os alunos puderam externar o que aprenderam com os professores em seus respectivos módulos e a partir de suas diferentes trajetórias e metodologias, como por exemplo: as referências teóricas, técnicas e atividades  sobre o aparelho vocal e seu bom uso para a cena, que trouxe a professora Priscila Ribeiro; a investigação e criação de um corpo cênico partindo de referências e experimentações corporais com mitos de matriz africana, propostas pelo professor Edivaldo Batista; passando ainda por um viés teatral centrado no jogo e no perfil didático trazido pelo professor Joel Monteiro. A turma  optou por realizar um exercício final único, totalmente criado pelos alunos e orientado pelos professores. Esse é um momento que na escola chamamos de Rotas de Criação, onde há a partilha e avaliação dos processos formativos e criativos.

Afetados por questões e angústias diversas, tanto no nível individual como coletivo, advindas do contexto sócio-político nacional e internacional, os alunos resolveram falar sobre partir, ir embora, seja da cidade, do estado, do país, de si mesmos no constante exercício humano de buscar o melhor, qualquer que seja ele, onde quer que ele esteja. Como existir estando “de partida, “de passagem”, “em busca” seja por escolha, seja por falta de alternativa outra, seja para garantir minimamente a sobrevivência? Essas e tantas outras questões correlatas foram os disparadores para o exercício cênico apresentado em sala de ensaio, ao final do percurso em julho, e reapresentado no pátio da escola no lançamento conjunto das coordenações dos cursos básicos do Programa PREAMAR, em agosto.

O Programa PREAMAR é então um programa de formação e criação maior e mais complexo que apenas um processo de formação ou apenas um processo criativo, justamente porque propõe as duas coisas, é também mais extenso que os quatro meses em sala de ensaio (agosto-novembro), já que acumula a trajetória primordialmente formativa (teórica e prática) do primeiro semestre. É formação em ação e experimentação diária, permanente e não exclusiva à sala de ensaio. Traz questões e temáticas para reflexão e experimentação que afetam, transformam e disparam processos criativos que culminam em narrativas e produções artísticas críticas e conscientes.

Ângela Soares

Fotos Alan Sousa

Fotos Té Pinheiro