Pitching: a escolha dos roteiros

O Porto Iracema das Artes realiza um pitching – apresentação pública, dos onze roteiros desenvolvidos por alunos durante o percurso Ateliê de Escrita Dramática, ofertado entre os meses de abril a julho. O evento aconteceu na quinta-feira, 1º de agosto de 2019, das 18h às 22h, no Auditório da Escola.

Foram produzidos dez roteiros de ficção e um de documentário, avaliados por uma banca formada por nomes experientes da área de cinema e de escrita dramatúrgica, que participaram como colaboradores na formação: o dramaturgo Edilberto Mendes, o roteirista Pablo Arellano, a diretora Janaína Marques, a escritora e roteirista Natália Maia, o realizador Samuel Brasileiro e, por fim, o diretor e produtor Arthur Leite – coordenador de formação em cinema da Escola.

Ao final, foram selecionados dois projetos para serem realizados no Programa Preamar Audiovisual 2019, o programa de realização dos Cursos Básicos de Audiovisual do Porto Iracema das Artes. As equipes  dos filmes são compostas por estudantes dos percursos básicos de Som, Câmera e Edição de 2019, também realizados entre abril e julho.

Sobre o percurso

O percurso Ateliê de Escrita Dramática, realizado pelo Cursos Básicos de Artes Cênicas e Audiovisual da Escola, tem como foco a dramaturgia para teatro e cinema. Com carga horária de 130h/a, a formação oferece uma experiência de estudo e criação em que cada participante desenvolve seu próprio roteiro de curta-metragem de ficção, documentário ou peça teatral.

“Na primeira semana a gente se debruçou sobre as ideias iniciais ou sinopses, todo mundo falou e opinou sobre o possível filme dos outros, expôs suas inseguranças, dúvidas.

De forma paralela as essas rodas de conversa, utilizamos algumas aulas teóricas nas quais partimos de elementos básicos de roteiro, analisamos cenas e trechos de longas, assistimos muitos curtas e lemos alguns contos para entender as diferentes estruturas e narrativas de curta duração, assim como a linguagem cinematográfica que pode potenciar cada filme.

Até que as consultorias individuais vieram. A ideia de cada estudante foi se estruturando e passando a ser um argumento, uma escaleta e finalmente um roteiro para cinema. Esses são momentos de constante provocação criativa para os roteiristas, que terminaram entendendo como a ideia primogênita que tiveram pode ser contada de diferentes formas. Exploramos diferentes versões de contar, analisamos cena a cena, escutamos e imaginamos os diálogos até chegar em uma versão final.

No caso do “Terral”, Leo chegou com uma ideia muito clara, com o universo da vila de pescadores, o vento e a baleia, um grande conhecimento das histórias bíblicas… E tentamos, pouco a pouco, aportar, com maior ênfase, na linguagem cinematográfica para fazer a história crescer”.

Pablo Arellano – Tutor de Desenvolvimento de Roteiro Cinematográfico do Ateliê de Escrita Dramática.

O roteiro

Foto de Té Pinheiro

 

Abaixo, as três primeiras páginas do roteiro “Terral”:

 

Link para foto do Pitching do Ateliê de Escrita Dramática:

http://www.portoiracemadasartes.org.br/pitching-dos-roteiros-desenvolvidos-no-atelie-de-escrita-dramatica-cinema-01-de-agosto-de-2019-fotos-te-pinheiro/