EPÍLOGO para Cavalos-Marinhos

Texto Original: “Muros Agudos Iguais a Fome” de Yuri Marrocos

Adaptação: Daniel Noronha

 

          O ano é 2019 e o que nos  resta  fazer nesse meio minuto de tempo antes que essa porra toda papoque, se não falar sobre esse tempo? Curtir pinturas de baleias nadando em petróleo enquanto devoram moças comendo agrotóxicos. Cuspir 80 tiros. Engolir  a droga de um helicóptero inteiro e Jair queimando os segundos que se aglomeram nesse tempo que não cabe mais. São mais de 20hs de uma quarta feira e vocês ainda estão AQUI, vendo o tempo se refazer  em um relógio sem ponteiro. Em um  ator sem tempo. O tempo sem ator. O Cronos sem Machado. O machado sem cabeça… Essa peça é uma homenagem ao tempo. É uma homenagem a todos aqueles que se desdobram para caber no tempo. É para aqueles que não puderem estar aqui. É para aqueles que não puderem assisti-lá. Não puderem devora-lá, pelo contrário, foram devorados por ela. É para aqueles que todo dia passam a margarina no pão, quando tem margarina, ou tem pão, ou faca. Para os que decantam, para os que sofrem, suam, fedem, morrem, gritam, se rasgam, se transformam, se mutilam para caber na porra de um tempo incabível como o nosso. Essa peça é para quem sente fome e acende a droga do último cigarro da carteira.

Daniel Noronha – danielnoronha89@gmail.com

Daniel Noronha é Ator, Palhaço e Performer. É morador do bairro Planalto Pici. Graduando no Curso Superior de Licenciatura em Teatro do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará – IFCE. Tem registro profissional de artista sob o número 1938/CE. Tem experiências como ator desde o ano de 2013. Principais espetáculos: ‘Água Doce e a Farsa de Pantaleão’, ‘Forja’, ‘Cavalos-Marinhos’ e`Há Vagas’. Fez o curso Percursos Práticas do Ator através da Escola Porto Iracema das Artes no ano de 2019, resultando no projeto Cavalos-Marinhos.

 

 

Fotos Nayra Maria / @bufolica